terça-feira, agosto 28, 2007

O PACTO!

20 horas... sob protestos eu era colocada na cama. Era hora de dormir. Eu tinha 9 anos e achava esse ato extremamente arbitrário. Tancredo Neves havia sido eleito e a democracia nem de longe fazia sombra lá em casa. Minha mãe na época, leccionava para um grupo de adultos, era o mobral, as vezes eu também ia, nas sextas, gostava de brincar de professora. Inclusive, ensinei a avó da minha vizinha a escrever o próprio nome "FLORA" , agora me dou conta de como o nome dela era bonito e eu que a ensinei a desenhar as letras. Foi só, ela não aprendeu mais nada além do primeiro nome e a ligar os pontos. Mas aos 70 e tantos anos, já perdida em seu universo particular, foi de fato uma vitória... Brincar na rua também era permitido, nas sextas. Agora! ficar em casa vendo novela? Nera não. Então fiz um pacto com meu pai, homem centrado, de um humor ímpar que sempre entendeu que não se sobrevive sem as concessões... fizemos um acordo... eu não falava para mainha que ele roubava canjica e ele me deixava ver a novela "Roque Santeiro", acordo fechado fizemos algumas mudanças em casa... a tv girou 56° para a direita, minha cama 43° para a esquerda e pronto (porque naquele tempo não tinha essa mordomia de menino ter televisão no quarto), se a porta do quarto estivesse aberta, eu conseguia ver a novela. A última parte eu sempre tinha que assistir já deitada na cama, ela podia chegar... e sempre chegava... E vivemos assim felicidade, a Viúva Porcina me fazia gargalhar e ele comia a canjica. As vezes acho que ela sabia e fazia de conta que não, era uma forma de manter o pacto seguro e nos fazer entender que nos pais, podíamos confiar. (cruela - presa no banheiro e revirando o baú das lembranças)

16 comentários:

Clarissa Felipe disse...

Toda essa cena me lembrou tanto Fortaleza... Nem sei porquê ao certo...

Pactos entre pais e filhas são sempre fortes demais.

:)

Cruela disse...

e o que eu bem fiz foi pactos...

aos poucos irei postando.

Minha mãe agora é a minha colaboradora... tem me revivado a memória.

beijos

Dam disse...

Depois de uma semana estou de volta..
A preguiça tomou conta de mim..ahah

Adoro pactos, quando cumpridos..
Beijoss

Ká disse...

Adorei... me fez lembrar de quando eu era pequenina...e adorava assistir Roque Santeiro...rs...mais lá em casa a regra era a mesma...crianças na cama as 21:00hs...o jeito foi assistir Roque Santeiro,quando passava a tarde...Se eu não me egano era as 17:00hs...rsrs...
É bom lembrar desssas coisas de infância...da uma saudade...

Rebeka disse...

Nha tempo bom não tive mtos pactos com meus pais mas ta suave hahahau aprontava do mesmo jeito ^^

Cruela disse...

dam???

leia um texto no Mude... em que ele fala que algumas promessas nunca serão cumpridas.

muito bom.

Anônimo disse...

Gosto muito de vir aqui.
Nunca me pronunciei, antes. Hoje não posse deixar de te dizer que te acho com uma índole invejável.
Abraço,
Eu

Cruela disse...

Comentários via email para este post, pq tem gente que é besta de nascença... manda email mas não escreve aqui.

CAÇULA (o irmão)
vc escreve muito bem e o melhor é que escreve sobre o cotidiano que é onde estão as histórias mais belas e não percebemos.
quando vc conseguir escrever esses contos sem os ter vivido, já será uma escritora de verdade, não que seja de mentira, hehe. bjs...

DEBULINA (a prima descabeçada)
rsrsr, ei Cruela, pode crer, me fez lembrar dos meus la de casa, nao era diferente nao, so que meu pai, claro, era maleável como tio ferraz, mainha era duro na queda.
nao tinha canjica nao, la em casa era algo diferente (amendoim torrado)
uma vez painho chegou queimar a mao, deu bolha, ao tentar salvar um que pulou da panela quente...kkkkkkkkk
era isso que eu fazia pra ele me liberar da cama as 20.rsrsrsrs, e continuar vendo tv. Mainha era colega de tia Léo no mobral, dava aulas de noite e eu roubava o giz da escola
uhuhuhuhuhuhuh
beijos minha linda

GRILA (a irmã)
Lindo. Muito bom.
Só que é leCCionar e não leCionar.
Vou enviar para alguns amigos mas vou corrigir antes. Pra ninguém pensar que você ainda precisa voltar para o mobral

Gruuu disse...

Eu adoro este blog. Acho que vocês escrevem com uma delicadeza forte. Parabéns.

Cruela, você é realmente especial.
Persona, não te conheço, mas se Cruela te escolheu você deve ser especial também.

Boa sorte para vocês.

BABI SOLER disse...

Eu só podia assistir até a segunda novela e antigamente as novelas tinham as cenas para o próximo capítulo. Minha mãe dizia:Babi, vá escovar os dentes para assistir as cenas pronta para ir dormir.
kkkkkkkk
Boas Lembranças!!!

Alpha e Ether disse...

ahahhaha nnão acreditooooooooooo

Cruela disse...

para Alpha:

não espalha

Sílvia Carrasco Braga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sílvia Carrasco Braga disse...

Menina esse Ai-6 tb reinava lá em casa... Tocava a musiquinha do Jornal Nacional, o CId Moreira dava boa noite, meus pais também me diziam e me mandavam pra cama. Novela das 8?? Só sexta e sábado se eles tivessem de bom humor, pois não era coisa pra crianças...rs
As vezes eu fingia que tinha dormido, e ficava escondida atrás da estante pra ver Pantanal, que todo mundo no colégio via, menos eu...
Até quem dia minha mãe resolveu beber água fora de hora e me pegou no flagra!!!rs Ouvi bronca quase uma semana...rsrsrs
Amei o post, me fez revirar meu baú de lembranças tb

Ser disse...

Cruela,
me dOu conta de que o tempo é mesmo um bom companheiro!
Na minha casa reinava tb o esquema de 20h cama, e num tinha negociação com pai.

MAS O QUE MAIS MEXEU COMIGO NESSE PAPO TODO É QUE AS NOVELAS QUE NÃO PUDE ASSITIR ERAM: "OS OSSOS DO BARÃO",ESPIGÃO, GABRIELA, SARAMANDAIA, ESCALADA...
CARAMBA!! tÔ FICANDO VEINHA!! RSSS ACHO QUE TU OU ERA BEBE DEMAIS OU NEM TINHA NASCIDO!!
CARACA!!!

Gal disse...

Falar o quê, minha AMIGA?!?!?! É deixar a lágrima descer!