sexta-feira, junho 10, 2011

ESSE É O MEU BRAZIU!

Beneficiários do programa Minha Casa, Minha Vida pedem demissão do trabalho para se enquadrar no limite de renda para adquirir um imóvel financiado pela Caixa Econômica Federal. Famílias que receberam ontem as chaves de seus apartamentos, em Blumenau (SC), disseram à reportagem que largaram o emprego para ter renda familiar de até R$ 1.395, teto estipulado pelo governo para obter o financiamento.
A presidente Dilma Rousseff esteve ontem na cidade para entregar 580 unidades do Minha Casa, Minha Vida, das quais 220 foram destinadas a pessoas que perderam suas moradias em 2008, quando parte do Estado foi devastada por fortes chuvas.
“Eu tive que sair do meu serviço para ter acesso a isso. Na assinatura do contrato, tive que sair do emprego”, afirmou Maria Janete da Silva, de 52 anos, que trabalhava havia 14 anos na Souza Cruz e assinou contrato com a Caixa no mês passado. Instalada numa moradia provisória, ela recebeu ontem as chaves do apartamento de 41,36 m², durante a cerimônia que contou com a participação de Dilma.
De acordo com a Prefeitura de Blumenau, cerca de 20% das 2.200 pessoas que se inscreveram no Minha Casa, Minha Vida não se enquadraram nos critérios por apresentarem renda acima do limite ou por já terem recebido financiamento anterior. “O programa é muito bom, mas o teto congelado (em R$ 1.395) é um problema. Se o critério fosse três salários mínimos de hoje, teria uma inclusão maior na cidade. Deveria ficar nivelado ao salário mínimo”, afirmou o secretário de Assistência Social, Mario Hildebrandt.
Lançado em 2009, o Minha Casa, Minha Vida atende principalmente famílias que ganham até três salários mínimos. Na época de formatação do programa, o mínimo estava em R$ 465 - hoje é de R$ 545. Os R$ 1.395, no entanto, não foram corrigidos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

7 comentários:

Murdock disse...

Que festival de bizarrice. Pessoas perdem casa por enchentes. Ok, acontece em qualquer lugar do mundo, não vamos nos ater a áreas de risco.

O governo financia uma casa nova. Não sei se isso aconteceria em qualquer lugar.

O financiamento é só pra quem está em certo limite de pobreza. Por que essa distinção?

A pessoa prefere ficar sem emprego e vai pagar o financiamento como?

Mary Valeriano disse...

Aqui na Italia quem perde a casa por calamidades naturais tem acesso a financiamentos, mas a renda non conta.

Ella que amava ... Ela disse...

Loko, hein... se o governo inventar o cheque deficiência vai ter neguinho cortando a mão fora... Vixe

Ella que amava ... Ela disse...

O Brasil é um país esquizofrênico... economia capitalista mas metido a bancar direitos socialistas; aqui no rj, invadem terrenos e predios de área de risco, proibidos e\ou condenados e constroem suas casas; um belo dia a casa cai, seja pela chuva, vento ou desapropriação, aí vão gritar na televisão que o governo tem que dar casa. E quem banca a conta dos governos populistas????
Tá fods...

Júh Sodi disse...

É a bagunça chamada Brasil e o conformismo idiota que é característica principal de quase 90% dos brasileiros, ê Brazéu.

Colorindo um sonho disse...

E tem gente que se mata que nem louco pra poder comprar uma casinha e poder casar com sua namorada....elaiaa

Ludmilla disse...

Esse Brasil é nota 10000, gente que coisas lindas né, exemplos, perder o emprego para ganhar uma casa, ficar sem casa, morrer na chuva, são coisas que dao alegria e orgulho pelo país ¬¬